Nicotina e perda do apetite

Qualquer um que tenha tentado parar de fumar sabe que isto é freqüentemente seguido por um ganho rápido de peso. De fato, engordar é o principal impedimento para que muitos fumantes que querem parar, pois eles vêem abandonar o cigarro como uma ameaça à sua aparência. Em um artigo na revista Science, Mineur e colaboradores abriram caminhos ao desvendar os mecanismos neurais e moleculares pelo qual a nicotina suprime o apetite.

O grupo de pesquisadores submeteram camundongos a aplicação de uma droga experimental agonista de receptores nicotínicos, ou seja, que simula os efeitos intracelulares da nicotina. Após uma série de experimentos, descobriram que a droga ativava um grupo específico de receptores nicotínicos, os α3β4, no núcleo arqueado do hipotálamo. Esta é uma área do cérebro que integra sinais precedentes do intestino e a da presença de gordura, avisando o cérebro se o corpo necessita de comida ou se já tem calorias suficientes.

Efeitos supressores da nicotina no cérebro. Os neurônios POMC sintetizam precursores de moléculas agonistas que ativam vários receptores melanocórticos (MC4) no núcleo arqueado, ao passo que os neurônios AgRP localizado na mesma região sintetiza moléculas antagonistas desses receptores. Estas moléculas endógenas regulam a atividade dos receptores MC4 de neurônios de segunda ordem envolvidos na regulação da ingestão de alimentos, suprimindo o apetite e resultando na perda do apetite.

A ligação da droga aos receptores nicotínicos, por sua vez, desencadeava o disparo de um grupo de neurônios no núcleo arqueado do hipotálamo, chamado de proopiomelanocortina (POMC, no acrônimo em inglês) que dá a sensação de saciedade, resultando na perda de apetite dos animais. “Não ficamos muito surpresos com a descoberta em si pois sabíamos que a nicotina podia diminuir o consumo de alimento em modelos animais e também em humanos. Não sabíamos, no entanto, quais caminhos celulares e moleculares estavam envolvidos neste processo.”, explicou Mineur.

A identificação deste receptor e a via de sinalização intracelular ativada pode levar à criação de medicamentos para controlar o peso.”O trabalho mostra um mecanismo pelo qual é possível limitar o ganho de peso e o consumo de alimentos, em especial em pessoas que estão tentando parar de fumar. Adesivos de nicotina já são utilizados atualmente para quem quer parar de fumar. Compostos com perfis semelhantes poderiam ajudar a limitar o ganho de peso após a pessoa parar de fumar”, afirmou Mineur. “O próximo passo da pesquisa, agora, é descobrir porque a maioria do ex-fumantes ganha peso nos seis primeiros meses após abandonar o cigarro, e depois o perde.”

Fonte: Science Daily

@larissaomfaria

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

"Um simples cérebro, sendo bem mais longo do que o céu, pode acomodar confortavelmente o intelecto de um homem de bem e o resto do mundo, lado a lado." Emily Dickinson
"Deve-se ler pouco e reler muito. Há uns poucos livros totais, três ou quatro, que nos salvam ou que nos perdem. É preciso relê-los, sempre e sempre, com obtusa pertinácia. E, no entanto, o leitor se desgasta, se esvai, em milhares de livros mais áridos do que três desertos." Nelson Rodrigues
"Cada um pense o quiser e diga o que pensa" Espinosa
"O animal satisfeito dorme" Guimarães Rosa
%d blogueiros gostam disto: